quinta-feira, 30 de abril de 2015

Os UFO dos Rockefeller



O título do artigo pode parecer esquisito:UFO e Rockefeller?Aparentemente nada de mais longe. Mas não é assim. A ideia do Leitor é “Ufo = homenzinhos verdes” ou pior “UFO = alucinações”? Um fenómeno bom só para os visionários?
Então pode ter chagado a altura de rever algo.

A televisão dedica espaço ao fenómeno UFO. Determinados canais (History Channel, por exemplo) transmitem séries sobre o assunto. Na maior parte dos casos são documentários bastante tristes, conduzidos por indivíduos que parecem gozar duma licença duma instituição para atrasados mentais. O resultado é uma mistura de teorias que vão desde a ficção científica até o puro delírio. Neles é possível encontrar pontos de interesse, mas para fazer isso é preciso conhecer o fenómeno e saber distinguir.

Dito assim, quase parece que estas série tenham como fim desacreditar o fenómeno. E em parte isso é verdade. Mas há o outro lado da medalha: não esquecemos que para quem acredita (e, ao mesmo tempo, tem um conhecimento superficial) boa parte do que é apresentado é “possível” quando não mesmo “realidade”.
Depois há um outro aspecto, mais “culto”, para quem não fica satisfeito com os alucinados das séries: é o Disclosure Project. Este apresenta-se bem, muito bem até, e captura a atenção com testemunhos e analistas que merecem respeito.

Um exemplo é dado por este vídeo. Bastante comprido (uma hora e meia…), vale a pena assistir caso o Leitor esteja mesmo interessado no assunto, pois os intervenientes são pessoas preparadas e não visionários.



Mas eis a dúvida: quem fica atrás do movimento Disclosure? Quem organiza as reuniões pelo mundo fora, quem paga?
A resposta é surpreendente. Mas só até um certo ponto.
Stephen Bassett, conferência Disclosure de 2014:
O embargo da verdade, que eu casualmente refiro, era um grande programa em que bilhões de dólares foram gastos, não só para manter o segredo, mas para manter as finanças em segredo, e manter os mass media sob controle, bem como os filantropos […] e as universidades afastados.
Filantropos. Eis um termo que assusta. Bill Gates é filantropo. Oprah Winfrey, George Soros, Warren Buffett, Bono são todos filantropos. Mas no caso do Disclosure há um filantropo em particular: Laurance Rockefeller.

No site de Stephen Bassett há um inteiro capítulo dedicado ao filantropo Rockefeller. E também nas páginas do Disclosure não faltam citações no âmbito do projecto Starlight.
Um desses documentos é uma carta do The Starlight Coalition Project (o antecessor do Disclosure Project do Dr. Greer) assinada pelo Dr. Steven Greer e outros, solicitando ao presidente Clinton a desclassificação de documentos sobre extraterrestres e UFO.
Esta carta do Starlight Coalition Project foi o resultado da histórica reunião em Asilomar, Califórnia, que o Dr. Greer organizou e Laurance Rockefeller pagou em Junho de 1995, pouco antes da reunião de Clinton com Rockefeller, em Agosto de 1995.
A presença dum Rockefeller não é incómoda? Segundo o Project Disclosure não.
Como explicado pelo movimento (Annotated Proceedings of the Citizen Hearing on Disclosure, página 90):

Basicamente o que os documentos FOIA mostram é que o empresário bilionário, Laurance Rockefeller, tinha falado com a Casa Branca para que o governo revelasse a verdade por trás do mistério UFO. Existem vários Rockefeller; há Nelson Rockefeller, que era o menino político que corria para o governo, havia David que era o rapaz com o dinheiro, e havia Laurance Rockefeller que era o lado humanitário. Ele tinha uma licenciatura em filosofia na Universidade de Princeton e estava muito interessado neste fenómeno.

L. Rockefeller e H. Clinton


Em 1937, herdou o lugar do seu avô no New York Stock Exchange. Serviu como curador da Fundação Rockefeller Brothers Fund por 42 anos, desde a sua criação em 1940 até 1982. Durante este tempo também actuou como presidente (1958-1980), mais do que qualquer ou líder na história do Fundo. Também era um fundador e administrador do Fundo da família Rockefeller.Um Rockefeller humanitário. Nada de política ou dinheiro, ele estava interessado só nos UFO.
E vamos ver este filantropo humanitário (biografia de Wikipedia versão inglesa):
Era uma figura de destaque no campo pioneiro do capital de risco, que começou como uma parceria conjunta com todos os cinco irmãos e a sua única irmã, Babs, em 1946. Em 1969, entrou no Venrock Associates, que fornecia importantes financiamentos para Intel e Apple entre muitas outras empresas de tecnologia e start-up, incluindo empresas envolvidas na área da saúde. Ao longo dos anos, os seus interesses de investimento variaram também nos campos da indústria aeroespacial, electrónica, física de altas temperatura, materiais compósitos, óptica, lasers, processamento de dados, termiônica, instrumentação e energia nuclear.

Não apenas Laurance estava profundamente envolvidos no sector financeiro, como também foi um dos fundadores do Fundo Rockefeller.
Enquanto o simpático Laurence era o director do Fundo Rockefeller, este organismo financiou um ambicioso estudo concebido por Nelson Rockefeller, para definir as principais questões e oportunidades dos Estados Unidos, esclarecer metas e objetivos nacionais e desenvolver os princípios que poderiam servir de base política nacional no futuro. E foi por isso que Nelson recrutou Henry Kissinger, que então se encontrava na faculdade de Harvard, em qualidade de director do projecto.
Nelson trouxe também pessoas como Edward Teller (Projecto Manhattan, laboratórios de Los Alamos), Charles Percy (senador republicano, presidente da Bell & Howell), Dean Rusk (Secretário de Estado), John Gardner (presidente da Carnegie Corporation), Henry Luce (magnate da imprensa:

Time, Life, Fortune…), Gordon Evans Dean (presidente da Comissão dos EUA para a energia atómica), Roswell Gilpatric (secretário da Defesa). Esta alegre comitiva, da qual faziam parte também os Rockefeller Laurance e John D. III, tinha como objectivo uma série de projectos: questões radicais que iam desde a estratégia militar, a segurança, a política externa, a estratégia económica internacional e a reorganização do governo. E tinha um nome também: Prospect for America: The Rockefeller Panel Report.

O projecto foi finalmente publicado em 1961, apesar de algumas partes ainda estarem secretas. Mas o que é conhecido dá uma ideia. Página 35:
Vamos tentar, então, indicar sucintamente o que este painel tem em mente quando fala da possibilidade da América ajudar a moldar uma nova ordem mundial. A frase poderia ser facilmente mal interpretada, pois poderia ser tomadas no sentido duma Pax Americana: uma ambição imperial para reunir as nações, para defini-las uma contra as outras num equilíbrio de poder, para dividir e quebrar. Não é isso que temos em mente. nem temos em mente, como poderia concebivelmente ser suposto, espalhar formas americanas de fazer as coisas em todo o mundo, na esperança de duplicar em outros lugares o determinado tipo de vida que agora existe dentro dos limites dos Estados Unidos.
Cá estão outra vez: os gajos da Nova Ordem Mundial.

Como é possível observar, Laurance estava profundamente envolvido na procura dos objetivos globalista da família Rockefeller. Não havia divisões ou divergências de interesses no seio da família, como evidenciado pela cooperação dos três irmãos; havia apenas uma divisão de trabalho, mas o projeto era vivo e existia como um conjunto de esforços.

O Projecto Disclosure nasceu neste ambiente, financiado pela família Rockefeller.
É lícito perguntar: qual o seu derradeiro objectivo? Por qual razão misturar poder, dinheiro e UFO?
Ainda convencidos de que os UFO sejam só coisas para visionários?

10 Teorias da Conspiração Que Envolvem Tanto OVNIs Quanto Nazistas

A obsessão do Terceiro Reich com esoterismo e ocultismo é bem conhecida. Por isso, talvez não seja muito difícil imaginar que essas bizarras fascinações pseudo-religiosas do movimento possam levá-lo para o reino do paranormal, de encontros com extraterrestres, objetos voadores não identificados (OVNIs) e similares. Além disso, o que não falta é gente com minhoca na cabeça por aí.



Abaixo, examinamos 10 teorias de conspiração com conexões OVNIs e nazistas:

10. Die Glocke (O Sino)


Há surpreendentemente pouca informação sobre o que supostamente seria um dos principais projetos de OVNIs dos nazistas. Porém, isso só seria mais um argumento para alimentar uma suculenta teoria da conspiração. Chamado de Die Glocke, ou O Sino, acredita-se que o projeto seja fruto da imaginação do tenente-general da SS Hans Kammler.

A nave, que foi batizada por causa do seu formato, seria alimentada por uma substância misteriosa chamada Xerum 525, que era altamente radioativa e exigia um revestimento de chumbo pesado. Os cientistas nazistas teriam conseguido fazer a engenhoca funcionar, mas a energia que emanava dela tinha alguns efeitos colaterais não revelados e aterrorizantes, o que teria levado à morte de vários pesquisadores.
Seres vivos expostos ao campo energético poderiam se decompor e até mesmo os resíduos teriam efeitos muito desagradáveis. Os nazistas usariam trabalhadores retirados de campos de concentração para limpar a câmara de teste depois do Die Glocke ser executado.

Quando a guerra estava chegando ao fim, aqueles que estavam trabalhando no projeto teriam sido mortos. O Die Glocke – e o general Kammler – teriam sido levados para outro esconderijo, onde o trabalho na nave misteriosa teria supostamente continuado.
Por mais rebuscados que esses rumores pareçam, há um grãozinho de verdade – um grão que só foi descoberto em 2014. Kammler realmente chefiou um programa de armas secretas e, junto com Heinrich Himmler, foi um dos responsáveis pelo foguete V-2. A descoberta de uma fortaleza e área de testes de armas subterrânea em Sankt Georgen an der Gusen, na Áustria, por um cineasta austríaco deu uma nova e estranha credibilidade à teoria.

OVNIs e teorias da conspiração à parte, acredita-se que o complexo foi construído por vítimas do campo de concentração de Mauthausen-Gusen, e estima-se que algo em torno de 320 mil pessoas morreram na construção do bunker subterrâneo.

9. Ernst Zundel, a negação do Holocausto e OVNIs


A ideia do movimento de negação do Holocausto é inexplicavelmente estranha, mas aí mora outro conjunto de teorias de conspiração. Ernst Zundel esteve na vanguarda do movimento ao longo de décadas – enquanto não estava preso na Alemanha, onde acabou de cumprir pena por incitar o ódio racial. Ao longo da década de 1970, ele era o chefe de uma empresa especializada em publicações nazistas e neo-nazistas. Mas, além disso, ele também foi um defensor da ideia de que os nazistas estavam construindo, testando e voando em OVNIs.

Em 2013, a esposa de Zundel publicou um artigo que, ela alegou, tinha sido escrito por seu marido em resposta a aqueles que argumentavam que o desenvolvimento de OVNIs pelo Terceiro Reich seria absurdo. O texto afirma que o alemão seria uma autoridade no assunto, pois ele escreveu vários livros.
Zundel afirma que está há muito tempo em contato pessoal com Rudolf Lusar, um dos pesquisadores mais prolíficos da OVNIlogia da Alemanha nazista. Ele garante ser capaz de confirmar que houve considerável desenvolvimento de OVNIs ao longo da guerra, e que o Terceiro Reich tinha conseguido construir naves em forma de disco que poderiam quebrar a barreira do som.

Ele cita também um livro de Renato Vesco, que teria sido chefe da inteligência de aviação de Mussolini durante a Segunda Guerra Mundial. De acordo com a obra, haveria todos os tipos de avanços fantásticos em teste pelos nazistas, de novas ligas e metais até aparelhos esquisitos.

Em última análise, Zundel afirma estar bem informado sobre o desenvolvimento de OVNIs nazistas, comentando sobre a tecnologia norte-americana e como ela era primitiva em face dos avanços do Terceiro Reich. E ele insiste em que, um dias desses, todo mundo vai saber que ele estava certo.

8. A base nazista na lua


Se você pensa que as missões da NASA à lua foram por razões científicas, tem gente que acha que você é só um ingênuo que não presta atenção aos sinais.

De acordo com os teóricos da conspiração, a verdadeira razão da NASA e do governo dos EUA terem se envolvido em uma corrida para a lua era para checar os nazistas que estavam vivendo lá. Aparentemente, em 1957, os russos trouxeram para os norte-americanos a confirmação de que os nazistas usaram sua tecnologia OVNI para fugir para a lua e montar acampamento no nosso satélite natural. Documentos recuperados em Berlim relatariam que Hitler teria descoberto uma substância lunar chamada H3, que ele percebeu que seria capaz de fornecer toda a energia necessária para os seus nefastos planos envolvendo a lua. Os Estados Unidos, naturalmente, estariam mais do que um pouco preocupados com a perspectiva, de modo que a NASA foi formada e a corrida espacial foi lançada.

Mas não é aí que param as alegações absurdas. Também há quem tenha certeza que os Estados Unidos estavam trabalhando em um programa sombrio chamado Projeto A119. Os relatos não confirmados afirmam que os EUA planejavam destruir completamente a lua, usando uma arma nuclear para exibir o poder de fogo americano e fazer a União Soviética pensar duas vezes antes de continuar a Guerra Fria.
Quando nave espacial tripulada da NASA chegou à lua, os astronautas, aparentemente, encontraram a base lunar nazista e conseguiram fotografar tudo. A destruição do ônibus espacial Challenger na verdade foi, alguns acreditam, causada pela intercepção de uma arma nazista disparada da lua.

Toda essa ideia ganhou alguma força em 2012, com o lançamento e as ações promocionais do filme “Deu a Louca nos Nazis” – que, claramente, não deve ser levado nem um pouco a sério.

7. Giuseppe Belluzzo


Vamos a mais uma teoria da conspiração com pouca documentação para apoiá-la. Giuseppe Belluzo foi o ministro da Economia Nacional na época de Mussolini, e também era um especialista no campo e no avanço das turbinas que eram usadas ​​no desenvolvimento de vários navios de guerra e cruzadores. Ele morreu em 1952, mas, alguns anos antes, de acordo com a história, ele teria procurado a imprensa com algumas histórias bastante bizarras.

Ele havia dito que as turbinas não eram as únicas coisas em que estava trabalhando, e que haveria planos para a construção de aeronaves circulares – planos que estariam em ação desde cerca de 1942. A máquina não seria tripulada, mas conseguiria entregar armas nucleares. Desenhos foram publicados em um jornal em 1950, e vários outros supostamente ofereceram mais evidências para essa afirmação.

Um deles era um comandante britânico, que disse que teria recebido uma proposta para uma missão secreta para a Noruega, na qual seu objetivo era destruir a base onde os nazistas estavam construindo seus OVNIs. A história também foi ligada a outros relatórios do desenvolvimento de naves em forma de disco com codinomes como “Kugelblitz” e “Feuerball”. A história de Belluzzo foi noticiada em jornais de todo o mundo, inclusive nos gigantes “New York Times” e “Los Angeles Mirror”.

Outro detalhe estranho da história: as matérias afirmavam que os russos haviam capturado pelo menos um protótipo da nave e tinham conseguido fazê-la funcionar.

6. Hitler, OVNIs e Vishnu


Um tema bastante contínuo ao longo da ideia que mistura nazistas e OVNIs é a de que Hitler tenha escapado em um destes discos voadores e estaria apenas esperando o momento certo para voltar à Terra, estabelecer o Quarto Reich e terminar o que começou. Essa é a basicamente a essência dos ensinamentos de uma mulher que atendia pelo nome de Savitri Devi e, além de sua crença de que Hitler voou em um OVNI, a maioria do que ela defende é não convencional, mesmo para os teóricos da conspiração.

Nascida na França em 1905 como Maximiani Portas, descobrir os textos de HP Lovecraft e Thomas Bulfinch acabaria por moldar seu sistema de crenças. Crente na existência dos deuses gregos, ela acabou viajando por Jerusalém – e saindo da experiência com um anti-semitismo profundamente enraizado. Ela escolheu o seu nome hindu depois de vagar pela Índia, onde decidiu que o uso da suástica nazista era claramente um indicativo da bondade que cercava os nazistas e seus ensinamentos, e que Hitler era uma encarnação de Vishnu.

Vishnu é um dos três deuses primários no triunvirato hindu, geralmente retratado como o maior deles. Enquanto os outros são o criador e o destruidor, Vishnu é o protetor, aquele que representa a luz e o sol, e é responsável por preservar a mente, o corpo, a existência da humanidade e “Om”, o som do mundo.

O relacionamento da Índia com a Alemanha nazista era compreensivelmente complicado, equilibrando o sentimento anti-britânico com os horrores que lentamente começaram a atingir as pessoas depois da guerra. Savitri Devi, porém, não tinha dúvidas das virtudes de Hitler, do Terceiro Reich e de seu trabalho. De acordo com os panfletos que publicou, ela tinha estado em contato com os membros do círculo interno da SS, que teriam assegurado que os trabalhos com seus discos voadores teriam sido concluídos e que sua encarnação de Vishnu estava segura, viva e bem.

5. Vril, Thule e OVNIs


Este é um daqueles casos complicados em que é absolutamente incerto onde termina a verdade e começa a ficção, por isso vamos nos ater a contar a história.

Vril e Thule são duas sociedades secretas que supostamente estariam ativas dentro dos escalões da Alemanha nazista, como uma espécie de corrente clandestina trabalhando para levar Hitler ao poder. O Terceiro Reich era apenas uma fase e o Quarto Reich – que, teoricamente, ainda está por vir – seria um governo mundial. O Quarto Reich agora foi rebatizado Allied Union e seu logotipo também teria sido atualizado, se transformando em um “AU” envolvolto por um círculo – alguns acreditam que o símbolo tenha sido visto em naves alienígenas que visitam a Terra há décadas.

A Thule original era um local, que tinha fama de ser na Escandinávia ou, segundo alguns, conectado com a mítica cidade perdida de Atlantis. Contudo, ela também já foi ligada ao partido nazista por místicos que “estudaram” o ocultismo na esperança de encontrar o lar original da raça ariana. Thule teria sua base principal OVNI na Antártida e haveria planos para tornar este o centro do próximo governo mundial. Vril é o círculo interno, a elite de Thule, e desde o fim da Segunda Guerra Mundial estariam trabalhando lado a lado com o governo dos Estados Unidos.

É dito que Vril, supostamente uma palavra suméria que significa “semelhante a Deus” (mesmo que não exista “V” em sumério), teria sido fundada por um grupo de místicos com o duplo objetivo de despertar e entrar em contato com os mestres de Thule, de usar seus poderes espirituais ocultos, e na construção de uma nave para ir a Alpha Tauri, a casa dos aliens. Foi supostamente os nazistas que, com suas pesquisas sobre o oculto, descobriram pela primeira vez como canalizar essa energia alienígena e adaptar a tecnologia alienígena para seu próprio ofício interestelar.

E isso tudo é só o mais básico dessa história toda, que contamos em poucas palavras e de forma muito condensada. Uma nota de rodapé: o termo Vril teria sido usado pela primeira vez em 1870, no livro “O Poder da Raça Futura”, de Edward Bulwer-Lytton. A história vai bem nas linhas das ideias que foram transferidas para os nazistas, dando origem, em grande parte, à popularidade da ideia de OVNIs nazistas.

4. Haunebu 1 e o Brasil


Estava demorando para chegarem nas nossas terras inóspitas.
Após o fim da Segunda Guerra Mundial, uma série de pessoas que ocupavam altos cargos alemães fugiram do país – e das consequências que eles sabiam que viriam após as atrocidades cometidas em nome do Terceiro Reich. Assim, não é de todo surpreendente que muitos deles tenham levado a ideia do OVNI nazista na bagagem.

De acordo com esta história, os nazistas tiveram sucesso na construção de uma nave alienígena com base em uma tecnologia qualquer com a qual estavam realizando experiências. A maior delas teria sido batizada Haunebu 1 e, ainda que fosse funcional, não era funcional suficiente para ser útil. Ela ainda teria problemas de controle e uma teoria sugere que os nazistas não apenas encontraram ou recuperaram tecnologia alienígena: eles fizeram um acordo para obtê-la. Os alienígenas – como quaisquer bons negociadores – não deram todas as suas informações de imediato, e guardaram alguns detalhes. No momento em que os nazistas haviam descoberto isso, eles já tinham arruinado a sua parte do acordo e ficaram com um disco voador funcional, mas inútil.

O Haunebe 1 teria sido supostamente trazido para o Brasil – o nosso país é renomado por suas aparições de OVNIs. De acordo com o escritor Randolph Winters, há uma base militar em terras tupiniquins que é dedicada a dar continuidade à pesquisa e construção de OVNIs nazistas. A base, executada pela inteligência alemã, seria responsável pela maioria dos avistamentos de OVNIs em todo o Brasil.

3. Operação Highjump


Os registros oficiais da Operação Highjump indicam que houve vários objetivos diferentes dadas à missão, em 1946. Parcialmente, a missão foi realizada para fornecer às tropas americanas treinamentos para o tempo frio e clima extremo. Isso baseado na ideia de que se a União Soviética decidisse atacar, era provável que eles o fizessem cruzando o Polo Norte e poderia ser necessário enviar tropas para a região para conter esse avanço. Uma razão mais confidencial para a missão era a de que ela permitiria que a Marinha dos Estados Unidos tomasse terras do outro lado do mundo, na Antártida.

Mas, embora a ação de treinamento (realizada no hemisfério sul para evitar o inverno do norte) tivesse começado dando alguma noção aos militares do que os esperava no polo – e tenha iniciado a era do mapeamento fotográfico -, ela não alcançou muito mais.

Isso, de acordo com os teóricos da conspiração, é porque a frota foi frustrada pelos OVNIs nazistas que estavam instalados na base de lá. De acordo com as declarações de alguns que haviam servido a bordo de navios utilizados durante a Operação Highjump, eles não tinha ideia do que estava acontecendo – eles ouviram o disparo e responderam à situação, mas não tinha ficado claro no momento o que eles estavam enfrentando.

O almirante Byrd que, na teoria, era o encarregado da operação, teria feito algumas declarações que sugeririam que havia algo além das condições extremas no polo envolvido na missão. Algumas de suas observações fariam referência a uma nova guerra, discos voadores e à necessidade de bases defensivas que protegeriam o resto do mundo de tudo que a Operação Highjump tinha encontrado.

Esta teoria é supostamente apoiada na ideia de que cerca de 250 mil pessoas alemãs ficaram desaparecidas após a guerra – e claramente a explicação mais lógica seria que eles estavam manejando a base polar que frustrou Operação Highjump. Há até mesmo cópias online do que supostamente seriam os registros e o diário de viagem do almirante Byrd, chamado “The Inner Earth: Meu Diário Secreto”. O diário conta que, a princípio, os militares encontraram sinais clássicos de atividades alienígenas, como o mau funcionamento de equipamentos e tecnologia e, em seguida, conta uma incrível história que envolve mamutes, cidades brilhantes e militares impossivelmente altos, louros e com sotaque alemão que os escoltaram até a sua fortaleza.

2. A fortaleza na Antártida


A ideia desta fortaleza na Antártida é possivelmente uma das mais duradouras de todos os mitos de OVNIs nazistas. De acordo com o diário do Almirante Byrd, o interior da base é brilhante e bonito, bonito demais para ser descrito em palavras. Entretanto, tal beleza seria obscurecida pela presença do Mestre, que promete um fim para a Terra e as pessoas que nela habitam.

Uma das versões mais conhecidas da história diz que, em 1938, um grupo de exploradores alemães foi enviado para mapear a Antártida. Quando o fizeram, eles encontraram uma série de enormes cavernas subterrâneas aquecidas por rios. A maior das cavernas se tornou a base 211, e até o final da guerra foi a nova casa da Thule, da SS, e de pesquisa, desenvolvimento e fabricação de instalações nazistas. Após a rendição oficial da Alemanha e o fim da guerra, Hitler, Eva Braun e um punhado de outros nazistas de alto escalão embarcaram em um barco U-boot e se dirigiram para a base 211.

Esta não é uma teoria nova; já estava circulando em 1952. As sementes da dúvida foram colocadas quando autoridades aliadas fizeram comentários sugerindo que eles não haviam confirmado a morte de Hitler. Parecia plausível que ele poderia ter fugido e possível que tivesse havido algum tipo de “plano B”. Foi nessa época que o nosso velho conhecido Ernst Zundel começou a apostar em teorias da conspiração.

E, como muitas teorias da conspiração, há um grão de verdade nesta – na primeira parte dela, pelo menos. Em dezembro de 1938, houve uma expedição alemã para a Antártida, mas era para determinar se valia a pena ou não estender o território baleeiro do país até mais ao sul. Havia outras expedições de acompanhamento previstas, mas a escalada das tensões no front da guerra pôs um fim a elas.

1. Roswell e os OVNIs nazistas



Qualquer pessoa com um breve interesse em discos voadores já conhece um pouco do mistério que envolve o que foi denominado “Área 51 do Novo México”.

O suposto acidente aéreo de 1947 e o abafamento do caso têm alimentado a retórica dos teóricos da conspiração há décadas, e uma hipótese sustenta que os norte-americanos estariam testando tecnologia OVNI que havia sido apreendida dos alemães no final da guerra. Alguns até acreditam que era o Die Glocke encontrando um final bastante ignóbil no meio do deserto.

Alguns vão mais longe ainda, sugerindo que não eram exatamente os EUA experimentando com tecnologias alemãs de fabricação de discos voadores, mas que a cidade de Roswell era a casa de uma sociedade ultrassecreta que estava continuando o trabalho dos nazistas para a criação do Quarto Reich e que teriam se mudado para lá após a guerra. Outra hipóstese é a de que os membros desta sociedade teriam sido sequestrados e convocados para o serviço militar norte-americano, decodificando e revertendo a engenharia da tecnologia alienígena com a qual vinham trabalhando há tempos.

Alguns teóricos da conspiração, enquanto isso, estão do outro lado, argumentando que a tecnologia alienígena poderia estar envolvida no incidente de Roswell, mas que o Terceiro Reich não tinha nada a ver com isso. Eles apontam para alienígenas pequenos, do tamanho de crianças, como prova disto. Mas não se decepcione: mesmo neste caso, ainda há uma explicação digna do nazismo, já que os médicos nazistas realizariam experimentos em crianças prisioneiras.

Tem sido sugerido que os aliens pequenos de pele cinzenta eram, na verdade, crianças humanas, frutos de engenharia genética e má formação, criadas por Josef Mengele para serem colocadas nas naves e desempenharem algum papel não determinado no acidente.

EXTRATERRESTRES: Visitantes Espaciais Teriam Vindo Esclarecer o Homem Primitivo??

José Alves Martins

Vacinas, computador e bomba atômica já eram conhecidos.

São muitas as evidências de que seres extraterrestres estiveram na Terra milhões de anos antes do aparecimento dos humanos. Mais tarde esses astronautas teriam também por incumbência esclarecer, ensinar e ajudar o homem primitivo. Pesquisadores especulam se esses visitantes espaciais podem teriam interferido no processo genético de que resultou no surgimento do espécime intermediário entre o macaco e o homem, chamado de elo perdido.

Como vimos em artigo anterior, a paleontologia e a arqueologia descobriram indícios e rastros que constituem claras evidências da presença de seres extraterrestres na Terra milhões de anos antes do aparecimento do ser humano neste mundo. Certamente essas criaturas, a serviço das altas hierarquias do Astral Superior, teriam por missão acompanhar e monitorar a evolução geológica e biológica do planeta desde essas remotíssimas eras da pré-história.

Diante de tais evidências, pesquisadores especulam que esses visitantes espaciais podem ter interferido no processo genético de que resultou no surgimento do espécime intermediário entre o macaco e o homem, chamado, na teoria evolucionista, de elo perdido, ainda não encontrado ou explicado pela ciência.

Ainda no cumprimento de determinações desses altíssimos planos do Astral Superior, responsáveis pela evolução dos inumeráveis mundos que rolam no Universo, tais astronautas teriam também por incumbência esclarecer, ensinar e ajudar o homem primitivo. Conclusão a que também chegou o já citado Andrew Tomas, autor da obra Não Somos os Primeiros, baseando-se em fatos e descobertas da própria ciência.
Sob esse monitoramento exercido pelos extraterrestres, o primata teria começado a deixar o reino animal, desenvolvendo um cérebro maior e assumindo postura erecta; e depois, muito depois, se teria transformando no verdadeiro homem, ao desenvolver a capacidade de elevar-se no mundo das idéias, de apreciar a beleza, de distinguir entre o certo e o errado, e ao se aventurar nos domínios do pensamento abstrato, vale dizer, das verdades espiritualistas, das ciências e das artes. "A história da civilização é o relato da ascensão do homem no mundo mental", observa ainda aquele autor.

A propósito, passemos ao outro tema deste artigo: os avançados conceitos científicos e tecnológicos conhecidos e praticados já em épocas tão remotas como a Pré-história e a Antiguidade. Segundo Andrew Tomas, a única explicação para esses conhecimentos é que teriam origem cósmica, uma fonte externa desconhecida, e só agora estariam sendo redescobertos pela ciência do nosso tempo. Realmente, seria impossível aos homens primitivos das cavernas ou palafitas e mesmo aos da Antiguidade ter os surpreendentes conhecimentos e realizar os admiráveis feitos que, a seguir, destacamos:

A pirâmide de Quéops, no Egito, ainda é a maior construção megalítica do mundo.

Os babilônios e os indianos inventaram baterias elétricas há 4 mil anos.

A civilização maia conseguiu, entre outras realizações notáveis, elaborar um calendário mais preciso que o nosso.
Os antigos gregos já admitiam a existência dos planetas que orbitam nas regiões do Sistema Solar além de Saturno, o que a nossa ciência desconhecia até há poucos séculos.

Entre as histórias mais incríveis da Antiguidade, citam-se as que se referem à levitação ou poder de neutralizar a gravidade (antigravitação). Assim, por exemplo, podiam-se erguer no ar pesadas pedras que mil homens não conseguiriam levantar. Segundo a opinião de pesquisadores, teria sido esse o recurso utilizado, no antigo Egito, para transportar e erguer os colossais blocos de rocha usados na construção das grandes pirâmides.

Os filósofos da Grécia antiga e os sacerdotes brâmanes afirmavam existir outros mundos habitados – os mundos-escola de que fala o Racionalismo Cristão.

Os povos do Oriente conheceram, num passado remoto, a eletricidade, assim como outros tipos de energia, e os sábios da Antiguidade construíam lâmpadas perpétuas que permaneciam acesas durante séculos, cujo segredo a ciência moderna, de que tanto nos orgulhamos, não conseguiu descobrir até hoje.

Os antigos tinham conhecimento de máquinas voadoras, a ponto de terem deixado minuciosas descrições de tais engenhos. Sabiam, também, da existência da América e da Antártida.

As pinturas rupestres de Altamira (Espanha) e Lascaux (França), criadas na Pré-história, são obras-primas que nada ficam a dever às de Da Vinci e Picasso.

É atordoante para nós, modernos, constatar que o Mahabharata, livro indiano escrito há milhares de anos, menciona bombas atômicas e que outras obras antigas fazem referência a robôs e computadores. Com efeito, foram encontrados no mar, no século passado, perto da ilha de Antikythera, fragmentos de dispositivo mecânico grego, datado de 65 antes de Cristo, identificados por especialistas como partes de um computador, confirmando assim a veracidade daquelas obras.

Se você acha que a vacinação é uma descoberta moderna, saiba que ela foi descrita nos Vedas, livro indiano escrito há mais de 3.500 anos. Nesse mesmo livro encontra-se, ainda, um dos registros mais antigos do conceito Força Universal, conhecido, como já vimos, desde épocas pré-históricas, e também preconizado pelo Racionalismo Cristão, doutrina surgida no século XX.






quarta-feira, 29 de abril de 2015

Análise De Campo Mostra Que Gigantes do Peru São Reais, Mas o Que São Eles ???



Nos últimos dias, e até ao longo de toda trajetória do ETs & ETc…, temos falado muito de gigantes na Terra. Falamos de casos como uma múmia, fora dos padrões de altura, encontrada em um cemitério com cerca de um milhão de outras múmias / Falamos de 4 esqueletos, dois homens e duas mulheres, cada um com 2,10 metros de altura encontrados na Rússia / Falamos de seres com mais de 2 metros de altura, os quais teriam sido vistos por alpinistas no vulcão Popocatépetl / Falamos sobre os Nefilins, gigantes que teriam vivido na Terra segundo o livro do Gênesis / Falamos sobre os gigantes filmados em uma montanha do Peru, e é neste ponto que eu queria chegar, pois é o real motivo desta postagem.



Este caso mostra gigantes de aparência humana, os quais teriam sido filmados no ano de 2010 emMarcahuasi (local magnífico). O vídeo deste caso, editado por Tercermilenio, mostra também, uma fotografia de 1982, tirada também no Peru, a qual mostra um ser de no mínimo 3 metros de altura. A foto foi tirada por um estudante. Porém o tema central do post é mesmo o vídeo feito em Marcahuasi (2010), o qual foi analisado, inclusive com investigação de campo praticada pela GCEPERU.

Na conclusão se deu que o vídeo é autêntico (isso já era sabido, pois a autora do vídeo é filha de uma das integrantes do grupo de investigação) e que os seres filmados são realmente criaturas de uma estatura fora dos padrões da localidade, haja vista o susto que tomou a cinegrafista, enquanto fazia o vídeo original. Porém isso não significa que possamos afirmar que sejam seres extraterrestres ou híbridos, mas apenas seres com estaturas bem incomuns, algo estranho e muito curioso. Não podemos afirmar, mas podemos sim levantar esta hipótese, especular e continuarmos de olho nessa região.

Abaixo o vídeo da Analise Final


...E aqui o Vídeo Original:



Fonte: www.etseetc.com

Enigmas da Pirâmide de Quéops são Decifrados



As investigações do arquiteto catalão Miquel Pérez-Sánchez, durante mais de dez anos, permitiram a reconstrução ordenada, com grande precisão, da pirâmide de Quéops, e a determinação de que ela estava coroada com uma esfera de mais de 2 metros. Pérez-Sánchez, que apresentou em 16 de abril passado a publicação de seu livro que apresenta sua tese de doutorado, explicou na apresentação que “da análise da pirâmide se deduz que ela era uma espécie de enciclopédia do saber de seu tempo“.
A Grande Pirâmide, que é a edificação mais importante do Reino Antigo, foi construída durante o reinado de Khufu (2550 a.C. a 2527 a.C.), o segundo faraó da IV Dinastia, a quem Herodo chamou de Quéops.  Foi a primeira das 7 Maravilhas do Mundo antigo e a única que permaneceu em pé.  Hoje ela é desprovida de seu revestimento original de blocos de pedra calcária branca, e seu cume perdeu 9 metros de altura.  Até agora não se conhecia seu formato original exato, assegura Pérez-Sánchez.  A esfera que coroava a pirâmide, diz o arquiteto, simbolizava o Olho de Horus e tinha um diâmetro de 2,7 metros, que é a medida do número e.  Esta esfera de coroação estava, por sua vez, associada ao Sol e Sirius, que é a estrela mais brilhante do céu, também associada a Isis.
As investigações do arquiteto, que contaram com o apoio de uma equipe multidisciplinar, permitiram desenhar o monumento com uma precisão de 4 decimais, o que representa “100 vezes mais do que precisão habitual da arquitetura“.  O desenho tridimensional da Grande Pirâmide permitiu descobrir suas medidas originais, analisar-las e entender o significado histórico do monumento.
Conhecimentos científicos inesperados
Pérez-Sánchez explicou que, além da esfera de coroação, hoje desaparecida, esta construção possibilitou conhecer “o ângulo de inclinação de 51,84º; a plataforma de apoio da esfera, o perímetro de pi (µ) em cúbitos reais, e a altura do vértice piramidal de 277.778 cúbitos reais, igual ao quociente da divisão de 1.000.000 por 3.600“.
O descobrimento do formato e das medidas originais da Grande Pirâmide, e sua reconstrução e análise, revelaram “uma arquitetura feita de puro filigrana matemático e geométrico, geodésico e astronômico“.
A superfície original da pirâmide, “hoje em estado de ruína“, era de 100.000 vezes o número pi (µ), o qual só foi descoberto 3.000 anos depois.  Os egípcios que idealizaram a pirâmide tinham “conhecimentos científicos inesperados, dentre os quais cabe destacar o uso do Teorema de Pitágoras – dois milênios antes do nascimento deste sábio de Samos, a precisão da definição do número de pi com 6 casas decimais, assim como o conhecimento do número das medidas da Terra, do Sol e de Sirius, com a antecipação de mais de 4.000 anos“.

Tumba… e cenotáfio comemorativo
A dependência geodésica da Grande Pirâmide foi confirmada por relações de escalas baseadas no sistema sexagesimal: “o meridiano terrestre pode ser obtido como sendo 43.200 vezes o perímetro da base em contato com a terra; o raio polar com sendo 43.200 vezes a altura total do monumento, e o perímetro médio da Terra como sendo 21.600 vezes o perímetro total da base“.
A partir dos dados astronômicos expressados por Plutarco, foi permitido situar o monumento em seu contexto histórico: “Na Grande Pirâmide, o faraó Khufu, na época que construiu sua tumba, edificou um cenotáfio comemorativo do Milênio do Dilúvio, em homenagem a seus antepassados mortos“.  Este feito explica o porquê de Snefru, pai de Khufu, construir durante seu reinado três pirâmides, em busca da pirâmide perfeita: “…este feito explica o esforço dos arquitetos de Khufu para incluir dentro da Grande Pirâmide os conhecimentos do passado“.
Desta forma, o arquiteto aponta em seu estudo que “a Grande Esfinge não é uma contemporânea das pirâmides que a rodeiam, mas pertence à uma civilização anterior que a esculpiu com o formato de leão, no oitavo milênio a.C.“.


E com estas informações não se pode deixar de pensar: Foram os próprios egípcios que adquiriram todos estes conhecimentos matemáticos e geométricos por si mesmos, ou teriam eles sido ensinados por outros?

Buraco De Minhoca Pode Estar No Centro De Galaxias ao Inves De Um Buraco Negro


A teoria de que há um buraco negro supermassivo no centro da cada grande galáxia é bem conhecida, mas um novo estudo da Universidade Fudan (China) está desafiando esse conceito.
De acordo com os pesquisadores Zilong Li e Cosimo Bambi, ao invés de um buraco negro, pode haver um buraco de minhoca no centro da nossa galáxia. Aliás, no centro de todas as galáxias.
Esses buracos de minhoca teriam sido criados no começo da história do universo e podem (teoricamente) conectar duas regiões diferentes do nosso universo, ou dois universos diferentes (considerando o modelo de multiverso).

Como saber se temos um buraco de minhoca

Um buraco de minhoca é basicamente um “atalho” através do espaço e do tempo. Embora nunca tenha sido observado, este fenômeno hipotético do espaço-tempo é previsto pela Teoria da Relatividade Geral e foi postulado pela primeira vez por Albert Einstein e seu colega Nathan Rosen. Ainda precisamos provar que buracos de minhoca existem, mas, por enquanto, a Teoria da Relatividade Geral tem acertado bastante.
Agora, o novo estudo acredita que há uma maneira de provar que esses buracos existem, e que um deles está bem no meio de nossa galáxia – através do Very Large Telescope Interferometer, um telescópio que ainda está sendo construído, no Observatório Europeu do Sul, no Chile. Um dos instrumentos deste telescópio, Gravity, pode ser capaz de detectar buracos de minhoca.
“Em poucos anos, o instrumento Gravity terá a capacidade de fazer imagens das bolhas de plasma orbitando perto da órbita circular estável mais interna do sGra*, o candidato a buraco negro supermassivo da Via Láctea. A imagem secundária de um ponto quente em órbita em torno de um buraco de minhoca é substancialmente diferente da de um ponto quente em torno de um buraco negro, porque a esfera de captura de fótons do buraco de minhoca é muito menor, e sua detecção poderia, assim, testar se o centro da nossa galáxia abriga um buraco de minhoca em vez de um buraco negro”, dizem Li e Bambi.



Então a viagem intergaláctica é possível?

Bom, já que um buraco de minhoca é um “canal” para viajar de um a outro ponto no espaço e no tempo, isso significa que seremos capazes de fazer viagens intergalácticas em poucos segundos?
Não exatamente. Teoricamente, buracos de minhoca podem existir, podem estar em nossa galáxia e podem permitir viagens mais rápidas do que a luz (porque, enquanto os objetos que passam através de um buraco de minhoca ainda se movem em velocidades menores do que a luz, vão de um ponto do universo para outro muito mais rápido do que um raio de luz viajando fora desse buraco de minhoca, através do espaço regular).
Além disso, teoricamente, buracos de minhoca podem permitir viagens no tempo, e podem conectar universos diferentes (se a teoria dos muitos universos paralelos, da mecânica quântica, for verdadeira). Nesse caso, ao passar por um buraco de minhoca, você iria certamente parar em outro universo que não este que estamos.

Mas repare que a palavra-chave aqui é “teoricamente”. Na prática, isso significa que não temos a menor ideia do que realmente vai acontecer quando alguém passar por um buraco de minhoca – isso se ele de fato existir. O que é extremamente legal, no entanto, é que podemos saber se eles existem mesmo muito em breve. 




terça-feira, 28 de abril de 2015

Desenho Liga da Justiça (Quase) Deixa Escapar a Verdade Sobre Conspirações



Neste episódio do desenho da Liga da Justiça, um dos personagens havia ficado em coma no hospital e se recorda de estranhos sonhos, possivelmente relacionado com o controle mental do MK-ULTRA. Vic Sage, este personagem com perfil de teórico da conspiração, então comenta que existiu apenas uma conspiração, "desde os tempos do antigo egito, existiu um único grupo de indivíduos poderosos guiando o curso da humanidade. Mas o homem comum preferem acreditar que eles não existem, o que facilita o sucesso deles". 


Então o outro personagem começa a ler "efeito estufa, golpes militares no 
terceiro mundo, atores eleitos para cargos públicos, proliferação de cafés, germes vencendo antibióticos, e bandas jovens, o que que há, quem lucra com este lixo". Vic Sage então diz "quem será
", no que os três baixam a cabeça.

Temos visto em muitos filmes e desenhos animados nos últimos anos várias menções de teorias conspiratórias, em quase sua grande maioria ridicularizando-as ou até mesmo ligando pessoas e grupos que pesquisam estes assuntos com grupos criminosos ou terroristas. Neste caso específico deste desenho, o outro personagem, o Arqueiro Verde, tenta fazer pouco caso, dizendo que Sage teria apenas conspirações na cabeça.

Isto faz parte de um forte movimento midiático para condicionar o público a desacreditar e ridicularizar teorias da conspiração. Veja, na segunda parte do desenho, como acrescentam vários assuntos não relacionados para tirar o foco do que realmente importa: "flúor aplicado sobre os dentes não previnem cáries, ele só faz os dentes serem identificáveis por satélites". Quando ligam uma tolice desta com teorias da conspiração ou grupos controlando o mundo, a população que vive na matrix passa a desacreditar quaisquer outros assuntos, por mais que existam inúmeras evidências na sua frente.



VEJA O VIDEO ABAIXO:



Nasa estuda forma de viajar mais rápido que a luz



Com a tecnologia atual, a humanidade não vai conseguir chegar longe no Cosmos. As distâncias são muito grandes - e nossos foguetes, muito lentos. Mas um grupo da Nasa diz que é possível construir uma espaçonave capaz de um feito incrível: voar mais rápido do que a velocidade da luz (300 mil quilômetros por segundo). Isso permitiria ir a lugares muito remotos e alcançar os planetas habitáveis mais próximos da Terra. Para fazer isso, a nave teria de deformar o espaço, comprimindo o que está à sua frente e esticando o que está atrás dela, criando a chamada dobra espacial. Pela Teoria da Relatividade, é possível. Só que não é fácil. Seria preciso pegar uma quantidade enorme de massa, equivalente à do planeta Júpiter, e transformá-la em energia (colidindo essa matéria com antimatéria, que pode ser produzida num acelerador de partículas). Inviável.

Mas o físico Harold White, da Nasa, diz que é possível aperfeiçoar o processo - e gerar a energia usando apenas 500 kg de matéria. A energia alimentaria anéis na frente e na traseira da nave, que produziriam um campo gravitacional artificial - deformando o espaço. "Seria o suficiente para alcançar dez vezes a velocidade da luz", diz. Daria para ir até a estrela mais próxima, Alfa Centauri, em meros cinco meses.

Para chamar atenção para seu projeto, White produziu um desenho da nave (veja acima). Ficou linda. Mas ainda é cedo para saber se vai virar realidade. Esses 500 kg de massa ainda são muita energia: cerca de 25 mil tWh (terawatts-hora), tudo o que os EUA consomem em um ano. White, por ora, tem planos mais modestos. Está bolando um teste para demonstrar que é realmente possível gerar uma dobra espacial. A conferir.



43 ovos de dinossauros são encontrados na China


A pavimentação de uma estrada levou as autoridades a encontrar 43 ovos de dinossauro fossilizados no sul da China, de acordo com relatos da mídia local.
Os ovos foram encontrados no início de abril, na cidade de Heyuan, que é muitas vezes referida como a “Casa dos Dinossauros”, por trabalhadores da construção civil que realizavam reparos em uma estrada.
Du Yanli, diretor do Museu dos Dinossauros de Heyuan, disse que os ovos eram predominantemente grandes, com um ovo supostamente medindo 13 centímetros de diâmetro e 19 ovos encontrados totalmente intactos.
“Há ovos de dinossauro fossilizados em toda a camada de arenito vermelho, mas eles nunca foram encontrados porque a cidade foi construída em cima das camadas”, disse Yanli.
“Com a recente atualização do sistema rodoviário e de esgoto, a camada de arenito vermelho está sendo exposta, e levou à descoberta dos fósseis.”
A Academia de Ciências da China está agora analisando os ovos para determinar as espécies de dinossauro a que pertencem.
Um total de 17.000 fragmentos de ovos fossilizados foram encontrados até agora na cidade de Heyuan, que tem uma população de 3,3 milhões, e está listada no Guinness Book por ter o maior número de ovos de dinossauro.
A maioria dos ovos encontrados na China pertencem ao Cretáceo Tardio, entre 65-100 milhões de anos atrás.




5 Razões Para VocÊ Acreditar Na Existência De Vida Alienígena Inteligente

5 RAZÕES PARA VOCÊ ACREDITAR NA EXISTÊNCIA DE VIDA EXTRATERRESTRE INTELIGENTE
Muitas pessoas ainda duvidam da existência de vida terrestre inteligente e acham que somos a única dádiva divina para todo este Universo físico. Mas, se formos levar em consideração as probabilidades quando examinarmos alguns dados, fica óbvio que a ideia da não existência de ETs inteligentes é simplesmente ridícula. Veja:



1) O número de galáxias
Estima-se que 50 bilhões de galáxias sejam visíveis através do uso de telescópios e o número total destas no Universo certamente deve exceder este número. Porém, para termos um número conservador, vamos somente dobrá-lo. Isto é 100.000.000.000 de galáxias no Universo.

2) O número médio de estrelas contidos numa galáxia
Há tantas estrelas em cada galáxias quanto o número de galáxias no Universo previsível. Vamos dizer que este número seja de 100 bilhões de estrelas em cada galáxia.

3) O número de estrelas no Universo
Levando-se os números acima em consideração, temos aproximadamente 100 bilhões de galáxias X 100 bilhões de estrelas em cada um, ou seja, 10.000.000.000.000.000.000.000 de estrelas. Isto significa 10 sextilhões de estrelas, e este é um número muito conservador.

4) O número de estrelas que possuem sistemas planetários
Uma das tecnologias atuais de caça aos planetas extra-solares, ou exoplanetas, dita que uma estrela precisa estar muito próxima de nós para que um exoplaneta seja detectado, geralmente através do ‘balanço’ de um estrela. Melhores tecnologias, que nos permitem mensurar a diminuição do brilho de uma estrela quando um planeta passa na frente de seu disco, têm agora revolucionado a caça por exoplanetas. Até hoje, já entramos na casa de milhares de exoplanetas descobertos com esta tecnologia. Mesmo este número sendo pequeno, os cosmólogos acreditam que a formação planetária ao redor de estrelas seja um processo muito comum. Assim, vamos dar a este cálculo um fator de um exoplaneta em um milhão de estrelas, e dizer que exista somente um planeta ao redor de cada estrela que possa possuir um planeta, para manter este número exageradamente baixo.
O resultado é 10.000.000.000.000.000, ou seja 10 quatrilhões de planetas no Universo.

5) O número de planetas que podem abrigar a vida.
Vamos presumir que condições para abrigar a vida sejam muito raras entre os planeta e dar a isto também o fator de um em um milhão. Uma simples divisão resulta em 10.000.000.000 (10 bilhões) de planetas no Universo capazes de abrigar a vida. 

O que você acha? Ainda estamos sós no Universo? Teria esta vastidão sido criada simplesmente para abrigar só um planetinha azul com um bando de malucos nele?
Os números falam por si mesmos. Se formos considerar todas estas probabilidades, fica muito fácil discernir que nós humanos somos menos do que “uma minúscula fibra de algodão desprendida da camiseta do Universo, no fundo do umbigo do mesmo”.
Tipologia Alienígena

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Cidade Flutuante é Vista Sobre Vilarejo na Nigéria




Centenas de moradores africanos afirmaram ter visto uma cidade dimensional entre flutuante.
O evento incrível aconteceu em um vilarejo fronteiriço chamado Dulali, em Lanzai Sul Ward, Darazo, Governo Local do Estado de Bauchi, na Nigéria.
Segundo relatos, Saidu Meshai Dulali, um cervejeiro aldeia chá, tinha "acabado sua oração da manhã na mesquita local e foi alimentando-se do fogão para seu dia de trabalho."






Clique na Imagem para ampliar.

Quando de repente, Saidu percebeu uma luz extremamente brilhante que permeia a atmosfera envolvente, seguido de uma súbita percepção de que os céus estavam caindo sobre a aldeia. Quando ele olhou para o céu invadindo, ele viu a vista mais fascinante de seu 40 anos existência no planeta Terra. De acordo com Saidu:

"Não parecia uma ampla grande massa de algo que parecia uma nuvem de lugar nenhum, e ele estava voando lentamente sobre a vila apenas na altura de uma árvore de média.

"A nuvem era transparente e vi belos edifícios altos dentro dele. 
Era como uma cidade flutuante. E com isso eu podia ouvir o som das máquinas que fazem o ruído, assim como você ouviria em Ashaka fábrica de cimento ".

Para ser justo, se tinha de Saidu sido a única testemunha dessa experiência ainda estranha brilhante, ele praticamente teria sido impossível tomar o seu testemunho pessoal como fato. Mas foi então descoberto depois de sua afirmação de que a "cidade flutuante" foi testemunhado por quase todos os moradores na área local, no momento, de fato, centenas deles, o Chefe do Imam da única vila Mesquita inclusive.   

Ezeki Nunes. Tecnologia do Blogger.

Mapa de Visitantes